A Justiça do Distrito Federal negou o pedido de uma academia para interromper a cobrança de aluguel do imóvel durante o isolamento social, devido à pandemia do novo coronavírus. O juiz que analisou o caso, no entanto, decidiu reduziu o valor cobrado a 25% do total da mensalidade estabelecida em contrato.

A decisão liminar é válida enquanto durar o decreto do governadorIbaneis Rocha (MDB), que determinou a suspensão das atividades das academias como medida de prevenção à Covid-19, até 10 de maio. Cabe recurso.

No pedido de urgência, o dono da academia argumentou que, em razão das medidas sanitárias adotadas para evitar a infecção pelo novo coronavírus, as atividades estão suspensas desde o dia 14 de março, o que comprometeria o faturamento.

Fonte: Por Milena Castro*, G1 DF

 

Deixe seu Comentário